Chapter Eighteen & Nineteen

Joseph Narrando
A minha semana foi corrida, durante a manhã ia pra escola e me esforçava pra continuar sendo o melhor aluno, durante a tarde ia pra casa fazer minhas tarefas e então descansar um pouco já que não trabalhava mais na lanchonete do Max, durante a noite ia a mansão dar aulas particulares a Demi que vinha melhorando muito agora que eu sabia do seu problema e no tempo que nos restava namorávamos um pouco, e não era muito.
Hoje, pra ser mais exato daqui a umas duas horas seria o nosso primeiro encontro de verdade, sem ter que nos esconder ou dar uns beijos entre as aulas, hoje seria só nós dois, e eu não estava muito confiante com isso, eu não saia com alguém há um bom tempo e bom, Demi não era uma garota qualquer, ela era bilionária, e isso não facilitava. Por isso pedi ajuda ao Nick e ao Kevin.
__Então, qual é a emergência?__ Nick perguntou se jogando na minha cama.
__É uma história engraçada__ eu disse rindo sem jeito, ainda não tinha contado pra eles que estava namorando a Demi__ vocês vão adorar. Sabe a Demi?
__Sabemos__ Kevin concordou__ claro que sabemos, o que tem ela?
__Bem, nós temos passado muito tempo juntos por causa das aulas particulares__ comecei a falar tudo de uma vez, rápido demais e eles me olharam com expressões confusas__ ai viramos amigos, só que domingo foi aniversário dela, acabamos nos beijando, agora estamos namorando e hoje vamos ter nosso primeiro encontro oficial e eu preciso de ajuda pois estou nervoso e não sei o que fazer.
__O que?__ Kevin me olhou boquiaberto__ você beijou a Demi Lovato?
__Fala sério__ Nick o fuzilou com os olhos__ foi isso que você entendeu? O idiota ta namorando ela a quase uma semana e não falou nada... Porque você não falou nada?
 
__Falta de tempo?__ fiz careta__ eu sinto muito, por favor, me ajuda. Eu sei que isso é meio gay, mas eu não sei o que devo vestir, ela é importante pra mim, eu quero que tudo saia perfeito.
__Ok, nós vamos discutir essa sua mentira depois.
__Eu não menti, eu omiti, tem diferença sabia?
__Que seja__ revirou os olhos__ diga, o que vocês vão fazer?
__Bem, eu só pobre como vocês já sabem, então ela topou fazer um programa simples, vamos ao cinema, depois comer alguma coisa numa lanchonete não tão deplorável e depois ainda estou decidindo o que faremos.
__Precisa de grana emprestado?
__Não, só preciso que me ajudem a decidir o que devo usar, não quero fazer feio, ela é bilionária.
__Eu sei como é__ Nick disse__ passei pela mesma coisa com a Selena.
__Não passou não.
__Passei sim, ela também é bilionária cara.
__E daí? Você também é rico idiota.
__Bilionário, rico, tem uma grande diferença ok? E a grana é do meu pai não minha.
__Vocês vão me ajudar ou não?__ resmunguei impaciente.
__Claro que vamos__ Kevin concordou__ primeiro passo, a roupa de baixo.
__Roupa de baixo?__ o encarei confuso.
__É cara, você pode se dar bem com ela hoje, tem que estar preparado__ ele sorriu maliciosamente__ nada de cuecas, elas são infantis e nada de estampas também, use uma sunga Box, de preferência preta, as garotas adoram.
__É nosso primeiro encontro, não acho que...
 
__Não interessa o que você acha, ouça o que eu digo, vai me agradecer depois.
Bem, eu o obedeci, poderia até ter discutido mais ele me olhou feio e eu não precisava de um machucado agora. Eles reviraram meu guarda roupa atrás da roupa menos feia que eu tinha, me arrumaram uma calça uma preta e disseram que não tinha problema eu ir de all star, embora eu soubesse que Demi odiava aquele tênis.
__Qual a cor preferida dela?
__Rosa.
__Eca__ Nick fez careta e puxou uma blusa do meu guarda roupa__ porque você tem uma blusa rosa?
__Foi presente da sua mãe idiota__ puxei da mão dele__ a Demi vai adorar isso.
Pus a camiseta cor de rosa, e joguei uma blusa preta por cima, dei um jeito no cabelo, o deixando meio bagunçado, e no final fiquei feliz com o resultado. Acho que Demi ia gostar.
Demetria Narrando


Faltavam duas horas pro meu encontro com Joe, eu tinha acabado de tomar um bom banho, estava enrolada no meu roupão e ainda não fazia ideia do que ia usar, então pedi ajuda pra Selena e Miley. Elas chegaram o mais rápido que puderam e trouxeram companhia, uma mulher que nunca tinha visto na vida.
__Quem é essa?__ perguntei confusa.
__Minha manicure__ Selena respondeu mostrando as unhas impecáveis__ você precisa se livrar desse esmalte cor de rosa querida, já vai no seu carro, não precisa matar o menino, a Marisa vai dar um jeito enquanto cuidamos do resto.
Sentei-me em uma cadeira e em pouco tempo Marisa deu um jeito nas minhas unhas, tirou o esmalte cor de rosa brilhante que eu usava e fez uma linda francesinha com umas florzinhas brancas que ficou simplesmente incrível. Cuidamos da maquiagem, resolvi não exagerar pois se eu conhecia bem o Joe ele ia gostar de uma beleza mais natural. Então fiz uma maquiagem básica e bem leve. Miley recomendou que eu deixasse o cabelo solto, disse que era mais sexy, então secamos meu cabelo e o deixamos com alguns cachos. Depois disso o próximo passo era a escolher a roupa, a parte mais difícil.
__Primeira coisa, a lingerie__ Miley disse__ tem que ser bem sexy.
__Por quê?
__Vai que rola alguma coisa?__ eu ia protestar mais ela me interrompeu__ não finja que você não quer querida.
Então eu me calei, eu não seria contra que nossa primeira vez rolasse hoje, com ele nada era impossível.
__Sabe qual é a cor favorita dele?__ Selena perguntou.
__Verde eu acho__ respondi meio insegura.
__Eu tenho a peça perfeita aqui__ Miley surgiu de dentro do meu closet segurando uma das minhas lingeries, era verde clara de renda e realmente era bem sexy__ vamos, experimente.

Eu coloquei como elas ordenaram e me olhei no espelho, eu ficava muito bem de verde e aquela peça ficara perfeita no meu corpo, realçando minhas curvas nos lugares perfeitamente certos. Não era pra me gabar, mas eu estava perfeita nela.
__Agora a roupa__ Selena pos a mão na cintura enquanto olhava pro meu closet__ não importa que seja um encontro simples, você tem que arrasar sempre, tem que mostrar que é uma garota de classe.
__Essa calça é linda__ Miley disse__ com a blusa certa vai arrasar.
__Não, não__ Selena discordou__ nada de calça, bermuda ou short, tem que ser vestido.
__Por quê?__ eu e Miley perguntamos ao mesmo tempo.
__Porque é mais sexy__ ela disse com cara de óbvio__ e é mais prático, mais fácil de tirar caso precise, se é que me entendem.
__Bem pensado__ Miley comentou rindo.
__Vocês são muito safadas__ reclamei.
__Aqui__ Selena gritou de repente nos assustando__ achei o vestido perfeito.
Era um vestido tomara que caia rendado preto e bem justinho, eu adorava esse tipo de roupa que valorizava minhas curvas. A alça do sutiã ficava aparecendo, mas parecia fazer parte do vestido, era realmente perfeito. Miley escolheu uma sandália de salto verde que eu tinha, depois escolhi uns brincos não muito chamativos, um cordão que chamava a atenção para o meu colo e a pulseira que ele me dera de presente. Parei pra me olhar no espelho e sorri.
__Acha que ele vai gostar?__ perguntei meio insegura.
__Ele vai babar__ elas garantiram__ você esta divina.
Agora era só esperar e ver o que aconteceria nesse encontro.

Joseph Narrando


Exatamente na hora marcada Demi apareceu na porta da minha casa com seu carro cor de rosa. Eu odiava aquele carro, mas fazia parte do nosso acordo, então apenas sorri e fui até ela que estava escorada no carro me esperando e estava simplesmente linda. Era incrível, mas parecia que a cada dia que passava ela ficava mais bonita.
__Oi__ sorri e lhe dei um beijo__ você esta linda.
__Obrigada, você também não esta mal__ ela brincou__ camiseta rosa? Pensei que odiasse essa cor.
__Odeio, mas achei que você ia gostar__ dei de ombros e reparei que ela estava usando a pulseira que lhe dei__ e pensei que você não usasse bijuterias.
__Não uso, mas abri uma exceção, assim como você fez com o cor de rosa__ ela disse rindo e apontou pros sapatos__ escolhi o sapato verde em sua homenagem.
__Eu adorei.
__E minha lingerie é verde também, só pra você saber__ ela piscou pra mim e entrou no carro.
Fiquei parado olhando pra ela com cara de idiota por um tempo.
__Você vem ou não?__ ela perguntou rindo de mim__ vamos perder o filme.
Entrei no carro e fomos até o cinema, compramos pipoca, refrigerante e alguns doces e nos sentamos na ultima fileira. O filme que fomos ver era o novo filme do Sherlock Holmes, o filme que Ashley me convidara pra assistir, me senti um pouco culpado por dar um bolo nela, mas superaríamos isso. Perdemos boa parte do filme, bem que tentamos, mas não conseguimos prestar atenção, durante a semana tínhamos pouco tempo pra ficar juntos então queríamos aproveitar aquela oportunidade, então passamos a maior parte do filme aos beijos, só prestamos atenção em algumas partes e demos boas risadas.
 
Depois do filme nós fomos a uma lanchonete comer alguma coisa. Eu pedi um hambúrguer com milkshake e batata frita, Demi pediu só o milkshake e roubou algumas das minhas batatas, segundo ela estava de dieta e não queria engordar, era ridículo, ela não precisava disso. Enquanto comíamos conversamos bastante, em alguns momentos falamos sobre coisas bobas, como quando perguntei sobre os animais que ela já teve. Ela me contou que tinha uma poodle chamada floquinho, mas tinha alergia a cachorros e por isso seus pais se livraram dela, me falou também que teve alguns pássaros, que adorava andar a cavalo e que odiava gatos. Eu contei a ela que tive um peixinho quando criança, mas morreu antes de uma semana e depois disso desisti de criar animais, e nós rimos feito dois bobos. Ela também me contou um pouco sobre sua infância, disse que quando era bem pequena gostava de fazer peças de teatro baseadas nos livros infantis que ela tinha e que obrigada os empregados a participar, algumas vezes até os fantasiava, e eu contei como adorava ir ao teatro com os meus pais.
Falamos de assuntos sérios também, ela me falou um pouco mais da relação com seu pai, que desde pequena ele nunca lhe dera muita atenção, pois estava sempre ocupado com o trabalho e me disse o quanto isso a entristecia. Cotou também como foi difícil quando ela descobriu a dislexia, pois não teve o apoio de seu pai que nunca acreditou que aquilo era mesmo uma doença, mas eu sabia que era, durante nossa conversa ela perdia o foco várias vezes e eu tinha de chamar sua atenção, mas agora que sabia a verdade isso não me irritava, eu queria ajudá-la. Ela me contou que buscava consolo gastando dinheiro no shopping, que aquilo a fazia se sentir melhor, eu entendia agora que comprar era um jeito de esconder suas frustrações, ela não era tão fútil quanto parecia, ela tinha seus motivos embora algumas coisas fossem realmente parte de sua personalidade, como fazer chilique por quebrar uma unha, ir ao salão várias vezes na semana e adorar cor de rosa, ela era uma patricinha de fato, isso era parte dela, mas algumas coisas só era possível entender quando você a conhecia de verdade.
 
Eu contei a ela sobre meus pais, como eu os adorava, como eram divertidos, falei sobre como foi difícil quando eles morreram, e como Max me acolheu, sem ele eu não seria nada agora, talvez fosse um moleque de rua drogado e ladrão, eu devia minha vida a ele. Falei sobre o trabalho do meu pai, que era o motivo de eu querer fazer faculdade de Direito, era uma forma de estar mais perto dele, de ter uma conexão com ele. Mostrei uma foto da minha mãe que carregava comigo e ela sorriu dizendo que eu era a cara dela.
Demi me contou também sobre como o teatro era importante pois a ajudava com a dislexia, era um desafio que ela precisava pra seguir em frente todos os dias, pra provar pra si mesma que era capaz e no fim da noite eu sentia que estava com uma garota completamente diferente, como se tivesse ido ao encontro com uma menina e voltado com outra, e sabia que ela sentia o mesmo sobre mim, agora que nos conhecíamos melhor o modo como nos víamos era diferente também.
Quando terminamos de comer encerramos um pouco o papo pesado e a levei a um lugar que ia muito com meus amigos, um salão de jogos muito legal. Ela me disse que nunca tinha ido a um lugar daquele e que nunca jogara a maioria daqueles jogos. Tentamos primeiro boliche, mas ela parecia uma profissional e não errou uma única jogada, então eu desisti, perder não tinha muita graça. Depois tentei ensiná-la como jogar sinuca, e foi divertido quando a abracei por trás pra mostrar o movimento e ela sorriu maliciosamente pra mim, se inclinando sobre a mesa, causando um maior contato entre nós dois. Tentamos também um joguinho de fliperama, e eu ria a vendo jogar, reclamando com a maquina quando perdia, igualmente meus amigos faziam. Depois coloquei uma fixa na máquina e dançamos ao som de uma música que eu não conhecia, mas que pareceu perfeita naquele momento, só pra nós dois, ali abraçados e em silencio. Eu comecei a pensar que tinha muita sorte em tê-la encontrado, éramos muito diferentes era verdade, dava pra perceber isso quando conversávamos sobre nossas experiências e pela careta que ela fazia ao entrar nos lugares que a levei, ela não estava acostumada aquela vida mas pareceu disposta a experimentar por mim e fiquei orgulhoso dela.
No fim do dia, eu não era mais um pobretão e ela a garota bilionária metida. Eu era só um cara sem grana e sem muitas oportunidades, mas mesmo assim educado e divertido, e ela uma menina rica com gostos refinados mais um coração de ouro, e apesar de perfeitamente imperfeitos, éramos perfeitos um pro outro.
 
Demetria Narrando


Passamos pela porta da minha casa aos beijos, tropeçando nas coisas e rindo feito bobos por isso. Eu nunca me divertira tanto na minha vida com um namorado antes, ainda mais fazendo aquele tipo de programa. Não estava acostumada a coisas tão simples, mas com ele percebi como coisas bobas e simples podem ser grandes e tão boas.
Ainda não estava pronta pra o deixar ir embora, ainda queria ficar um pouco mais com ele, dessa vez sozinha, sem ninguém pra interromper, onde pudéssemos fazer o que quiséssemos sem medo. Meus pais já deviam estar dormindo àquela hora, então não me preocupei quando o empurrei contra a parede, juntando seu corpo no seu e aprofundei o beijo. Suas mãos apertaram minha cintura, me puxando pra ainda mais perto e deixei escapar um gemido em sua boca gostando daquilo. Joe me empurrou pra trás, desencostando da parede e me levando até que eu esbarrasse no sofá e não conseguíamos parar de rir, até que ouvimos passos e partimos o beijo depressa assustados.
__Desculpe senhorita Lovato__ Julia, uma das minhas empregadas pediu__ eu não sabia que estava aqui, com licença.
__Tudo bem Julia, você não viu nada__ avisei a ela.
__Sim senhorita__ ela se virou e foi embora.
__Quantos empregados tem nessa casa?__ Joe perguntou fazendo careta.
__Não importa__ eu disse segurando a mão dele e o puxando comigo__ vem cá.
O arrastei comigo até o sofá, nos sentamos ali e voltamos a nos beijar, mas não por muito tempo... Quando a coisa começava a esquentar de novo outra das minhas empregadas apareceu, dessa vez a Fernanda.
__Eu sinto muito Senhorita.
__Ta tudo bem Fernanda, só não conte a ninguém.
Ela concordou e saiu.
__Não tem como ter privacidade nessa casa, ainda mais na sala__ Joe disse rindo.
__Eu te levaria pro meu quarto, mas fica do lado do quarto dos meus pais e... Não é uma boa ideia, vai por mim, meu pai tem sono leve, se ele escutar alguma coisa agente ta ferrado.
__Porque não vamos pra minha casa?__ ele sugeriu__ ninguém vai nos atrapalhar lá e ainda nem está tão tarde.
__Hum, eu não sei__ disse um pouco nervosa.
__Eu te trago depois se precisar, vamos Demi, não vamos ter muito tempo pra nós amanhã, temos que aproveitar.
__Tudo bem, tem razão... Espere só um minuto, eu vou tirar esse vestido e por algo mais confortável.
__Ok, eu te espero.
Lhe dei um selinho, tirei o salto e subi correndo as escadas mais sem fazer barulho. Fui até meu quarto e corri até o closet pra pegar uma roupa mais confortável. Optei por um short jeans novo que eu ainda não tinha usado e uma blusa vermelha também nova que comprei da ultima vez que estive no shopping, pus de volta o salto alto__ eu odiava sapatilhas__ e desci as escadas o mais silenciosamente possível.
__Estou pronta, vamos nessa.
Saímos do mesmo jeito que entramos, o mais discretamente possível. Fomos no meu carro cor de rosa e eu ri da careta que Joe fez por ter que entrar nele de novo. Em alguns poucos minutos eu tinha estacionado o carro na frente da casa dele, as luzes da casa do Max estavam acesas, os amigos dele deviam estar acordados. Entramos na casa, joguei minha bolsa em cima da mesinha que tinha no canto e logo estávamos nos beijando de novo. Fomos andando até cairmos no sofá, com ele por cima de mim. Quando eu namorava Sterling essas coisas não aconteciam, não havia paixão nos beijos, nada faíscas ou borboletas no estomago, terminar com ele foi a melhor coisa que eu já havia feito, eu sabia disso agora.
 
Nos livramos da camiseta dele, e a minha logo teve o mesmo destino, enquanto ele beijava meu pescoço percebi o que estávamos fazendo, quando pensei como nossa noite terminaria eu nos imaginava juntos no meu quarto e não jogados no sofá daquele jeito, mas não consegui me importar com o lugar, eu queria ele, cada vez mais. Só que tê-lo não era uma tarefa fácil, quando ele estava pra desabotoar o meu short a campainha da casa dele tocou.
__Ah fala sério__ resmunguei__ ninguém vai nos atrapalhar aqui né?
__Sinto muito__ ele riu se levantando__ deve ser os meninos, eu despacho eles rapidinho.
__Ok__ revirei os olhos vestindo minha novamente minha blusa e ajeitando cabelo.
Joe não se deu ao trabalho de vestir sua blusa pra ir abrir a porta e eu me mordi de raiva quando vi que na verdade não era um dos meninos e sim Ashley, a ex namorada dele, o que aquela maluca fazia ali à uma hora daquelas?
__Ash__ Joe disse surpreso__ o que faz aqui uma hora dessas?
__Desculpa, eu sei que é um pouco tarde, mas eu precisava te ver agora__ ela foi entrando e nem reparou em mim... Vaca.
__O que aconteceu?__ Joe perguntou preocupado.
 
__Eu tinha feito uma prova pra conseguir uma bolsa em Stanford, lembra que eu te contei que o pai de uma amiga minha me arrumou isso?__ ela perguntou e ele concordou__ recebi a ligação ainda pouco, consegui uma bolsa de estudos pra estudar Jornalismo em Stanford.
__Eu não acredito__ ele sorriu e contente e a abraçou, a rodando no ar, que cena comovente__ parabéns Ash.
__Não é incrível?__ ela disse__ agora quando você conseguir sua bolsa vamos estudar juntos em Stanford.
__Uau, você tem muita sorte, eu estou correndo atrás dessa bolsa há um século.
Ok, claramente eu estava sobrando ali, me levantei e fui pegar minha bolsa, foi quando Joe lembrou de mim e Ashley me viu.
__Oh, eu não sabia que estava acompanhado, desculpa__ ela disse envergonhada.
__Não tudo bem, eu já estava de saída__ pus a bolsa no ombro.
__Demi não vai__ ele pediu.
__Já esta tarde__ eu forcei um sorriso tentando não parecer chateada__ vocês obviamente tem muito que conversar sobre essa bolsa, eu não quero atrapalhar, agente se vê amanhã.
__Demi por favor...
__Eu não to com raiva__ prometi a ele, e não era mentira, eu não estava com raiva dele, só dela__ agente se vê amanhã.
Dei um rápido beijo nele e sai da casa... Não foi como planejei o fim da minha noite, mas talvez fosse melhor assim.
 

Chapter
Nineteen

Demetria Narrando
Eu estava dirigindo de volta pra casa, tentando não ficar irritada, a noite tinha sido tão perfeita, não queria estragar as lembranças boas com a raiva que eu estava agora, tudo culpa daquela loira falsa. Quando eu estava no meio do caminho o carro começou a fazer um barulho estranho até parar. Fiz de tudo pra ligá-lo de novo mais não adiantou nada, então abri a porta e sai.
__Carro estúpido__ resmunguei, aquilo não era hora pra dar problema, estava tarde e eu estava sozinha.
Ótimo, era o que me faltava, eu ter que ir andando pra casa nessa escuridão, a rua deserta e se aparecesse algum tarado? Dei um passo assustada querendo sair o mais rápido possível dali, mais foi só o que precisou pro meu salto quebrar.
__Ah fala sério, eu adorava esse sapato__ tirei os dois sapatos do pé e os taquei do outro lado da rua com raiva.
Peguei meu celular pra tentar ligar pra alguém e adivinhem? Sem sinal.
__Claro, sem sinal, porque seria o contrário?__ murmurei e enfiei o celular de volta na bolsa.
Estava prestes a voltar pra dentro do carro e mofar lá quando vi um carro se aproximando, eu logo o reconheci como o carro do Joe. Eu quis me fazer de difícil então comecei a andar pra longe dele, que me acompanhou, abaixando o vidro pra poder me olhar.
__O que houve?__ ele perguntou.
__Meu carro pifou e meu salto quebrou__ respondi secamente__ e você? Sua ex já foi embora ou ainda esta lá te esperando?
__Você disse que não estava com raiva__ ele comentou.
__Eu menti, é claro que estou com raiva, ela atrapalhou nosso encontro e você deixou.
__Entre no carro, por favor, Demi__ ele pediu.
 
Eu não ia dar ouvidos a ele, mas estava cansada e estava frio, então ele parou o carro e saiu, abrindo a porta pra mim.
__Por favor Demi, entre no carro__ ele insistiu.
Ele abriu a porta do passageiro pra mim, mas me fiz de difícil e passei por ele abrindo a porta e me sentando no banco de trás. Achei que ele ia entrar e dirigir pra me levar pra casa, mas ele fechou a porta da frente, deu a volta e abriu a outra porta pra poder sentar do meu lado no banco de trás.
__Qual o problema Demi?__ ele perguntou.
__Se você não sabe__ dei de ombros.
__Você sabe que a Ashley é minha amiga, ela quis compartilhar uma coisa importante comigo, eu não podia ignorá-la.
__Eu sei, e só que... Ela é sua ex namorada, e vocês tem um monte de coisas em comum, isso me irrita, vocês tem uma história.
__E é passado__ ele garantiu__ o que agente teve não significa mais nada, somos só amigos e temos algumas coisas em comum, eu fiquei feliz por ela ter conseguido a bolsa, isso significa que eu também tenho uma chance.
__É, e quando você conseguir sua bolsa vocês dois vão estudar juntinhos em Stanford, que felicidade.
__Demi...
__Eu estou com ciúmes ok?__ confessei zangada__ hoje era pra ser uma noite só nossa Joe, não pensei que fosse terminar com você comemorando com sua ex namorada, eu imaginei isso diferente. Imaginei nós dois lá na sua casa namorando sem ninguém pra interromper, agente conversaria um pouco mais e riria, você me diria coisas bonitas no ouvido pra que eu me arrepiasse e ai nós iríamos... __ me interrompi antes de completar o pensamento, ficando vermelha.
__Iríamos o que?__ sua voz fez meu coração errar algumas batidas.
__Nada__ desconversei.
 
Desviei os olhos de seu rosto e olhei pela janela pro lado de fora, mas senti quando ele chegou um pouco mais perto e ergueu a mão gentilmente pra tocar meu rosto, ele segurou com carinho e me virou pra que eu pudesse encará-lo.
__Eu e a Ashley não temos mais nada, eu sinto muito se ficou chateada com o que aconteceu, mas é de você que eu gosto Demi, é com você que eu quero estar e não com ela__ ele sorriu enquanto seu dedo me fazia um delicado carinho__ eu também queria que a noite acabasse de uma forma diferente, mas se você quiser, nós ainda podemos, você sabe... Nada__ ele brincou me fazendo rir.
Ele aproximou seu rosto do meu, achei que fosse me beijar, mas quando nossos lábios iam se tocar ele virou o rosto pro lado e seus lábios alcançaram meus ouvidos.
__Você é a garota mais linda do mundo__ ele sussurrou me fazendo arrepiar__ eu adoro você barbie.
Ele deu um beijinho na minha orelha, depois deu uma leve mordida me causando arrepios dos pés à cabeça. Foi distribuindo beijinho pelo rosto até finalmente alcançar meus lábios e iniciar um beijo calmo e apaixonado.
Devíamos ter sorrido um pro outro por ter feito as pazes e ido pra casa já que era tarde da noite e estávamos parados no meio da rua, mais meu corpo estava alerta e ficava cada vez mais por conta do seu toque tentador e antes que eu percebesse havia me empolgado. Sem desgrudar nossos lábios, me sentei em seu colo de frente pra ele, pondo uma perna de cada lado da sua cintura, ele não protestou mas mesmo assim parei um segundo pra olhar em seus olhos e vi neles a mesma coisa que havia nos meus... Desejo. Eu o amava e o queria muito, e queria que fosse naquele momento, não queria e nem havia porque esperar, aquela noite tinha sido perfeita em todos os aspetos, nós a melhoraríamos um pouco mais.
Ele agora só usava a blusa cor de rosa que vestira em nosso encontro, deixei que minhas mãos deslizassem devagar pelo seu peito, por dentro da blusa, arranhando levemente com minhas unhas, lhe roubando alguns suspiros. Depois me afastei por um momento pra me livrar dela e admirar seu peitoral definido resultado de muitos exercícios, eu tinha sorte de ter um namorado nerd tão absurdamente gostoso; mordi o lábio olhando pro corpo dele que sorriu pra mim e se ocupou em beijar meu pescoço enquanto eu me divertia com sua barriga sarada, sentindo cada pedaço dele. Sua língua quente parecia queimar minha pele, um fogo extremamente agradável.
Minha blusa logo teve o mesmo destino da dele, largada em algum canto do carro, ele sorriu ao olhar novamente pro meu sutiã verde e desceu os beijos pelo meu colo enquanto suas mãos procuravam o fecho nas costas. Ele não demorou a tirá-lo, o jogando de lado, ignorei a vergonha que ameaçou tomar conta e me contrai ao sentir sua língua em meu seio, brincando enquanto ele massageava o outro com a mão, fechei meus olhos, inclinando meu corpo um pouco pra trás, lhe dando mais espaço pra explorar meu corpo o quanto ele quisesse, eu adorava aquilo. Logo suas mãos desceram pra desabotoar o meu short, eu me levantei um pouco pra poder tirá-lo, o que parecia uma tarefa impossível naquele espaço apertado do carro e acabei batendo a cabeça no teto o que nos roubou algumas risadas. Aquele não era um lugar exatamente romântico, mas eu estava adorando cada segundo.
 
Depois de me livrar do meu short, foi à vez de me livrar da calça dele, a desabotoei com calma e juntos a empurramos pra baixo até que ele a tirasse e ficasse com a sunga Box preta. Sorri percebendo o quanto ele já estava excitado com tudo aquilo, empurrei gentilmente sua cabeça pra trás até que ele a deitasse no banco segurando seu cabelo e fazendo um carinho, ele fechou os olhos e sorriu, comecei a distribuir uns beijos pelo seu pescoço e discretamente com minha mão livre adentrei sua sunga, segurando seu membro com cuidado, ele apertou minhas pernas e mordeu o lábio com força em antecipação.
__Shh, quietinho__ sussurrei em seu ouvido, depositando alguns beijos ali e depois mordiscando com cuidado.
Bem devagar comecei a movimentar minha mão, o masturbando, fiquei olhando pra seu rosto enquanto o fazia e ele estava tão absurdamente lindo naquele momento, o corpo sarado estava suado e completamente a minha mercê, suas mãos me apertando com força e a expressão de tortura e prazer em seu rosto eram impagáveis, assim como ouvi-lo sussurrar o meu nome com a voz rouca e incrivelmente sexy. Ele pediu por mais e eu atendi, gostando de satisfazê-lo, de vê-lo daquela forma, até chegar um ponto em que ambos não agüentávamos mais. Nos livramos da ultimas peças de roupa e nada mais nos separava.
__Espere um segundo__ eu pedi arregalando os olhos__ por favor, por favor, diga que você tem uma camisinha ai.
Ele arregalou os olhos também parecendo assustado, e eu quase surtei.
__É brincadeira__ ele disse rindo quando viu minha expressão e se esticou pra pegar a camisinha no bolso da calça.
__Não teve graça__ dei um tapinha no braço dele.
__Teve sim, você devia ter visto a sua cara__ ele me roubou um selinho e mostrou a camisinha.
Eu puxei da mão dele__ você foi um menino muito mal, devia ser punido.
__Pode me bater se quiser__ ele provocou suas mão subindo e descendo pelas minhas costas, um carinho simples mas que ascendia cada célula do meu corpo, me deixando em chamas.
 
Abri o pacote de camisinha com os dentes, e eu mesma a coloquei nele, bem devagar, o torturando no processo. Demos mais um beijo cheio de paixão e fogo e então encaixei nossos corpos, deixei que meu corpo deslizasse no dele lentamente, apreciando cada segundo enquanto ele me invadia, então éramos uma coisa só. Me movimentei sobre ele, subindo e descendo devagar, uma onda indescritível de prazer me atingindo a cada movimento, ele me ajudou, me segurando com suas mãos fortes e me guinando, descobrindo juntos o nosso ritmo, até que perdêssemos o controle. O silencio foi substituído por gemidos altos que eu não me importava em controlar, pelo som dos nossos beijos, cada vez mais intensos e o som dos nosso corpos se chocando. Perdemos completamente a noção do mundo e da hora, e tudo desapareceu até que finalmente alcançamos o clímax juntos.
Deixei que meu corpo caísse mole sobre o dele que me abraçou com força, nossas respirações pesadas se misturavam enquanto ele acariciava minhas costas de leve, no fim das contas estávamos completamente suados, sem fôlego, porém totalmente felizes e satisfeitos, era oficialmente o melhor encontro que eu já tive na vida.
__Não era bem isso que eu havia planejado__ brinquei, minha cabeça descansando em seu ombro, meu dedo desenhando coisas invisíveis no seu braço__ mas eu adorei.
__Nunca tinha transado no carro barbie?__ ele perguntou rindo__ não sabia o que estava perdendo.
__Você já tinha feito isso antes?__ perguntei curiosa.
__Se eu disser que sim vai ficar com raiva?
__Foi com a Ashley?
__Não.
__Então não me importo__ respondi sinceramente e ele riu.
 
__Você é incrível sabia disso?
__É eu sabia, mas é sempre bom ouvir.
__Eu te amo__ ele sussurrou bem baixinho em meu ouvido ainda me abraçando carinhosamente e sento meus olhos arderem enquanto meu coração disparava no peito e eu sabia que ele podia sentir, ou ouvir.
__Eu também te amo__ murmurei envergonhada, eu nunca falara isso pra mais ninguém, ele era o primeiro, mas eu sentia que era o certo e que valera a pena esperar pra dizer.
Me afastei um pouco pra olhar em seus olhos e adorei o que vi ali, amor, carinho, desejo, e uma lágrima de alegria escapou.
__Hey, não chora__ ele pediu enxugando a lágrima__ o que foi?
__Nada, só estou feliz__ confessei e puxei a mão dele a pousando sobre meu peito pra que ele pudesse sentir o meu coração batendo__ viu o que faz comigo?
Ele sorriu e repetiu o gesto, pondo minha mão livre sobre seu peito, e seu coração estava tão acelerado quanto o meu.
__Você também faz isso comigo barbie__ sorriu docemente e depois deu um beijo na minha mão__ eu te amo

Nos beijamos, calma e lentamente por um bom tempo, ainda nus, abraçados um ao outro, eu adorava aquilo, me sentia completa. Mas chegou um ponto em que tivemos de ir embora, nos vestimos ali dentro do carro, de mau jeito pelo espaço apertado e rimos um do outro no processo. Meu carro ficou largado lá mesmo e ele me levou pra casa no seu carro, afinal teríamos escola em poucas horas. Por mim teria passado o resto da noite com ele, mas infelizmente ele teve que partir. Entrei em casa de fininho pra que ninguém me visse, tomei um longo e demorado banho e pus meu pijama, depois fiquei parada na janela olhando pras estrelas e sorrindo como uma boba apaixonada.
__Demi, ainda esta acordada?__ era minha mãe parada na porta com uma cara de sono.
__Eu já vou dormir mãe.
__Como foi o encontro com Joe?__ ela já sabia sobre nós dois, e prometera não contar nada ao papai, eu sabia que podia confiar.
__Perfeito__ respondi simplesmente.
__Que bom__ ela sorriu contente__ boa noite querida.
__Boa noite mãe.
Ela saiu e apagou a luz e eu fui me deitar, só me lembro de dormir com um grande sorriso no rosto.

CONTINUA ...
Amanha mais 2 capitulos
10 comentarios para os proximos

11 comentários:

  1. Amei...Adoro sua história. Tai :)

    ResponderExcluir
  2. hum.. hot (66'
    ai que lindinho, tipo maraaaaaaaaaaaa muito divoo o seu capitulo!!!
    O top dos tops!!
    ameiiiiiiiiiii

    XOXO

    ResponderExcluir
  3. OMg q capítulos foram esse ? Simplesmente amei e esse HOT O.o No carro adorooooooooooooooooo! Adoro ver a demi safadinha ;) posta mesmo flor

    ResponderExcluir
  4. Posta logo amo todas suas historias

    ResponderExcluir
  5. Posta posta posta posta posta logo logo logo logo logo logo

    ResponderExcluir
  6. Posta logo vai sou muito fã dessa historia

    ResponderExcluir
  7. PERFEITO
    POSTA LOGO
    eles são muito perfeitos juntos
    POSTA LOGO
    BeiJemi

    ResponderExcluir

Espero que tenham gostado do capítulo :*