Capítulo 20

Se abrir com os outros pode ser um grande remédio pra aliviar a dor... Mesmo que seja difícil, falar é sempre bom.






Sexta feira... Eu estava sentada no pátio da escola esperando o sinal tocar. Então vi Selena chegar de mãos dadas com o namorado... Ela e Nick realmente se davam muito bem, e eu gostava de vê-la tão feliz.



_Bom dia gostosa_ ela se sentou do meu lado.

_Bom dia pessoa feliz_ deu um beijo na bochecha dela_ bom dia namorado da pessoa feliz.

_Bom dia Demi_ Nick sorriu.

_Então amiga da pessoa feliz_ Selena disse_ você me parece feliz também... Ou quase isso, o que ta rolando?



Acho que já tava na hora de eu contar a Selena que tinha um namorado... Que por acaso era lindo, gostoso, compreensivo, fofo, carinhoso, atencioso... E provavelmente fruto da minha imaginação perturbada.



_Érr... É que eu to meio que... Namorando_ falei.

_Não_ arregalou os olhos_ Não brinca... QUE MASSA... ISSO É INCRIVEL.

_Selena, por favor, não grita_ eu pedi_ Nick, cala a boca dela, por favor?

_No dia que você descobrir como fazer isso me avisa_ ele riu.

_Nossa que engraçado_ Sel revirou os olhos e nós rimos_ mais me conta... É o vizinho né?

_É... É o Joe sim_ sorri feito uma boba.

_Meus Deus... Ele é muito gostoso_ ele suspirou_ você é sortuda em?

_Hei... Eu to ouvindo falou?_ Nick disse com indignação.

_Foi mal amor_ deu um selinho nele_ você é mil vezes melhor.

_Blá, blá, blá_ eu zombei.

_Tão namorando desde quando?_ ela quis saber.

_Pouco mais de uma semana_ eu falei.

_UMA SEMANA_ disse irritada_ E VOCÊ SÓ ME CONTA AGORA?



Ótimo, agora todos na escola estavam olhando pra nossa cara... Que mico meu Deus.

_Selena, sem escândalo por favor_ eu implorei.

_Porque só me contou agora?

_Eu queria ter certeza que tava tudo bem antes_ nem era bem isso mais a desculpa lavada tava valendo.

_Sabe que essa não colou né?

_É, não colou não_ Nick concordou.

_Nick, fica caladinho ai fofo_ eu disse dando um tapinha na bochecha dele_ muito ajuda quem não atrapalha.

_Sério Demi... Pensei que fossemos best friends forever_ fez bico.

_Sem drama Sel... Nós somos_ eu revirei os olhos_ eu só... Quis ter certeza que ia dar certo antes de espalhar pra todo mundo.

_Eu sou todo mundo?

_Sel_ protestei.

_Ta parei_ disse séria_ to feliz por você amiga, mais tem um problema... Eu ainda não falei com ele. Eu tenho que aprovar sabe?

_Aprovar?_ Nick ergueu a sobrancelha.

_É... Ela só namora com você porque eu aprovei_ eu falei_ nós somos assim, cuidamos uma da outra.

_Quer dizer que tive sorte de você gostar de mim?

_É por ai_ eu ri.



Eu e Selena às vezes éramos como mãe filha... Antes de o Half botar as manguinhas de fora eu tinha uns ficantes. Selena tinha que aprovar todos antes de eu... Pegar. E eu a mesma coisa com os dela. Nós cuidávamos uma da outra.



_Agente podia sair amanhã pra se conhecer_ ela sugeriu.

_Amanhã eu vou a praia com ele_ falei.

_Ótimo_ disse animada_ fazemos um encontro duplo... Eu e Nick, você e Joe. Perfeito.

_É... Não é uma má ideia_ sorri_ vai der divertido.

_Ótimo... Esta combinado então.



Depois da aula... Eu tive que ir pra casa enfrentar o Half. Dessa vez eu não protestei, só deixei que acontecesse pra evitar brigas, insultos e marcas pelo meu corpo. Mais não esbocei reação nenhuma enquanto ele me tocava... Só fingi que não acontecia. Fechei meus olhos e pensei que acabaria logo. Que logo eu poderia estar com o homem que eu realmente amava.



Depois que Half saiu de casa e me deixou sozinha, eu tomei um banho pra me livrar de qualquer vestígio de que ele tenha me tocado. Pelo menos dessa vez ele não tinha me machucado... Não fisicamente. Eu pus um vestido que achei no guarda roupa e sai de casa... E conforme andava não consegui evitar as lágrimas que desciam silenciosas e dolorosas.

Caminhei até o cemitério... E mais uma vez parei e fiquei olhando o tumulo do meu pai de longe, sem conseguir me aproximar. Como se algo me prendesse ao chão, me impedindo de fazer o certo.



_Demi?_ ouvi alguém me chamar.



Me virei e tomei um susto ao ver Joe parado bem atrás de mim, me observando atentamente... Parecia preocupado. Limpei as lágrimas rapidamente, sem querer que ele me visse assim.



_O que você faz aqui?_ eu perguntei_ estava me seguindo?

_Não... Eu estava passando por aqui e te vi, estava chorando... Queria saber se estava bem_ ele disse.

_Eu to bem_ forcei um sorriso.

_Veio visitar seu pai?_ ele chegou mais perto.

Eu apenas assenti.

_E porque não vai até lá?_ quis saber.



Eu fiquei em silencio, encarando o vazio... Eu queria tanto ir até lá, mais não conseguia, eu era uma fraca.



_Eu não consigo_ sussurrei.

_E porque não?

_Ele morreu por minha culpa Joe_ falei já voltando a chorar_ eu nunca vim visitá-lo, não vim em seu enterro... Não pude pedir desculpas e dizer que me arrependo. Eu só não consigo ir até lá.

_Demi, o que aconteceu com ele não foi sua culpa, foi um acidente_ ele disse.

_Que aconteceu por minha culpa... Se eu não fosse tão estúpida ele ainda estaria vivo_ disse escondendo o rosto com as mãos.

_Não fala assim_ ele me abraçou_ aconteceu por que era a hora... Não foi sua culpa.



Eu me apertei contra ele, esperando que aquela dor que eu sentisse passasse... Mais nem ele poderia arrancar de dentro de mim tamanha culpa. Eu teria que viver com isso pra sempre.



_Quer que eu vá até lá com você?_ ele sugeriu.

_Não, não vou.

_Quando você tirar da cabeça essa ideia estúpida de que é a culpada, vai conseguir ir até lá.

_Talvez... Mais não agora_ falei.

_Se precisar de mim... Se quiser que eu te acompanhe... É só falar ta bem?

_Obrigada_ sussurrei ainda abraçada a ele.



Ele se afastou do meu abraço e limpou as lágrimas que haviam descido... E eu esqueci de toda dor enquanto ele me olhava nos olhos. Então sorri pra ele.



_Vem_ me chamou_ vou te levar pra casa.

Eu me virei e vi atrás de nós, lá na rua estava à moto dele... Revirei meus olhos, eu não queria subir naquilo. O passeio da outra vez até que tinha sido legal, mais... Era melhor não abusar. Ele me puxou pra fora do cemitério e fomos até sua moto.



_Eu acho que prefiro ir à pé_ fiz careta.

_Não seja covarde anjo_ ele riu_ achei que já tinha superado isso no nosso ultimo passeio.

_Achou errado_ fiz bico e cruzei os braços.

_Acho que vou ter que te obrigar a vir então_ me encarou sério.

_E como vai fazer isso?_ o olhei desafiadoramente.



Ele me lançou um sorriso maldoso... Diabólico. Eu não gostei nada disso, só me arrepiei toda. Ele segurou minha mão e me puxou pra perto, colando nossos corpos.



_Você vai subir na moto_ ele sussurrou no meu ouvido_ e vai pra casa comigo.

_Não, não vou_ me fiz de durona.

_Você vai sim_ ele disse deslizando as mãos pela minha cintura e beijando meu pescoço.

_Não vou_ suspirei, me encolhendo um pouco com o contato.

_Vamos anjo... Eu sei que você é mais corajosa que isso_ subiu a mão até minha nuca, entre meus cabelos.

_Já disse que não gosto dessa coisa_ protestei_ se quiser passear comigo compre um carro.

_Eu sei que você gosta_ sussurrou aproximando seu rosto do meu.

_Isso não vale_ meu coração acelerou_ esta tentando me seduzir Jonas?

_Esta funcionando_ roçou seus lábios nos meus.

_Érr... Um pouco_ fechei os olhos derrotada.



Ele sorriu, roçando seus lábios nos meus pra me provocar... Então eu o puxei pela nuca e o beijei, acabando com a tortura, ele conseguia me tirar do sério muito fácil, era ridículo. Eu acabei me empolgando mais do que deveria, dei um impulso, prendendo minhas pernas na cintura dele, que me segurou e me sentou na moto. Sem parar de me beijar, ele foi deslizado suas mãos pela minha perna, por dentro do meu vestido... Foi só ai que me toquei que estávamos no meio da rua, na porta de um cemitério.



_Hei_ empurrei ele_ é melhor pararmos por aqui_ falei ofegante.

_Qual o problema?_ ele riu_ acabou sua empolgação?

_Estamos no meio da rua Jonas, na porta de um cemitério.

_Seria um show e tanto pros mortos_ disse descaradamente.

_Que isso Joe_ dei um tapa no braço dele_ me solta vai.



Eu o empurrei pra longe de mim e me recompus rapidamente... Pra nossa sorte não havia ninguém na rua. Seria o mico do século.



_Anda, vamos logo pra casa_ falei.

_Mudou de ideia?_ ergueu a sobrancelha_ vai subir na moto?

_Vou sim Joe... Melhor do que ficar aqui.

_Sabia que faria você mudar de ideia_ sorriu orgulhoso.

_É, eu sabia também_ bufei_ agora vamos logo.



Ele subiu na moto e eu também... Pomos o capacete e eu me agarrei a ele com força pra não cair.



_Se segura anjo_ ele avisou.



E então acelerou aquela coisa, me levando pra casa... Só ele mesmo pra me fazer esquecer de tudo, esquecer que estávamos no meio da rua, em frente ao lugar onde meu pai estava enterrado. E esquecer que tinha sido estuprada pelo meu padrasto há apenas uma hora atrás... Eu não entendia como ele fazia aquilo... Mais era muito grata por tê-lo em minha vida.

CONTINUA ...

5 comentários:

  1. AAAh, muiito perfeitoo *-* Caraa, quando o José vai saber de tudo heeein?
    Owwnt, só mia s8 capítulos + epílogo pro final da fic né? :( Enfim, posta mais um hooooooooooje, PLEEEEEEEASE. Beijemi. ;*

    ResponderExcluir
  2. posta logo flor to curiosa

    BEIJOS!!

    ResponderExcluir
  3. ahahahahahah Joe safado :p
    Está muito perfeito *--*
    Mal posso esperar para ele descobrir a verdade!! :D
    Posta logo!
    Beijos*

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk o Jooe ta mto safadenhooo kkkkkkkk ooo Selenaa quase morreeu eem kkkkkkkkkkkkkk Tah perfeeitoo Liinda POosta Logoo
    BeeijosNaBunda

    ResponderExcluir

Espero que tenham gostado do capítulo :*