Capítulo 43

Eu me arrastei para fora da cama, coloquei minha mão na sua e o segui até o banheiro. À medida que a água quente caía sobre nós, Joe começou a ensaboar meu corpo e eu fechei os olhos, apreciando a sensação de suas mãos em mim. Ele se pressionou contra minhas costas, um braço veio circular o meu estômago. — Então foi tudo bem pra você? — ele perguntou em voz baixa. 
Ele provavelmente estava preocupado Eu não chupar ele outra vez, se não tivesse gostado. — Sim. 
Ele beijou minha garganta. Ele fez muito isso. Foi tão gentil, amoroso e íntimo, mas eu sabia que isso não significava que ele era assim. — Estou feliz, porque eu realmente gosto de estar na sua boca. 
Eu corei de vergonha e por causa de uma estranha sensação de realização. Ridícula. — Você está com raiva porque eu não... Você sabe, engoli? Aposto que as mulheres com quem você esteve sempre engoliram. 
— Não, eu não estou com raiva. Eu não vou mentir, eu adoraria gozar na sua boca, mas se você não quer, tudo bem. 
Nós saímos do chuveiro e me sequei antes de me arrastar de volta para a cama. 
Descansei minha cabeça no peito de Joe. Ele apagou as luzes, banhando-nos na escuridão. — Quando seu pai lhe disse para se casar, qual foi sua reação? — eu murmurei. Eu estava pensando sobre isso há muito tempo. 
Os dedos de Joe pararam sobre os meus quadris. — Eu esperava isso. Eu sabia que teria que casar por razões táticas. Como futuro Capo, você não pode deixar as emoções ou desejos ditarem qualquer parte da sua vida. 
Fiquei contente que com a escuridão Joe não podia ver meu rosto. Ele parecia tão distante e sem emoção. Seus toques e beijos me fizeram querer acreditar que talvez ele estivesse começando a gostar de mim, mas agora eu não tinha mais tanta certeza. 
— E quanto a você? — ele perguntou. 
— Eu estava apavorada. 
— Você tinha apenas quinze anos. É claro que você ficou apavorada. 
— Eu ainda estava apavorada no dia do nosso casamento. Ainda não estou totalmente certa de que você não me faz ter medo. 
Joe ficou em silêncio. — Eu disse a você, não há nenhuma razão para me temer. Eu vou te proteger e cuidar de você. Vou dar tudo que queira e precise. 
Exceto uma coisa: amor. 
— Mas a Família sempre vem em primeiro lugar, — eu disse baixinho. — Se você tivesse que me matar para proteger os negócios, você faria isso. 
Joe  ficou rígido, mas não negou. Meu pai sempre dizia que só há espaço para um amor verdadeiro na vida de um homem feito, a máfia. 

Gianna conseguiu passagem para um voo dois dias depois. Eu estava totalmente emocionada. Não havia muito tempo desde que tínhamos nos visto pela última vez, mas parecia uma eternidade. Já estava ficando escuro lá fora quando Joe e eu chegamos ao aeroporto JFK. Desejei que Gianna tivesse conseguido um voo de manhã ou à tarde. 
Desde o meu comentário que Joe mataria para proteger a família, ele estava emocionalmente retraído; não que ele fosse um livro aberto antes disso. Nós só interagíamos à noite, quando Joe me dava prazer com as mãos e a boca, e eu a ele. Talvez se não fosse a visita iminente de Gianna, eu tentasse conversar com ele, ou até mesmo lhe pediria para me mostrar onde ele trabalhava, mas ao invés disso eu lhe dei o espaço que ele obviamente queria. Joe estacionou o carro e saímos. Ele não tentou pegar minha mão. Eu não achava que ele era o tipo de homem que andava de mãos dadas, mas ele tocou a parte baixa das minhas costas quando entramos na área de desembarque do aeroporto. 
— Tem certeza que você vai ficar bem com Gianna hospedada conosco pelos próximos dias? 
— Sim. E eu prometi ao seu pai que iria protegê-la. É mais fácil fazer isso com ela em nosso apartamento. 
— Ela vai te provocar — eu disse. 
— Eu posso lidar com uma menina. 
— Ela não é fácil. Ela é mais nova do que eu. 
— Eu posso lidar com ela. 
— Joe — eu disse com firmeza. — Gianna sabe como apertar os botões das pessoas. Se você não tem certeza absoluta de que pode controlar a si mesmo, não vou deixá-la perto de você. 
Os olhos de Joe brilharam. Ele tinha estado no limite o dia todo. — Não se preocupe. Eu não vou matar ela ou você nos próximos dias. 
Dei um passo para trás. De onde é que isso veio? Ele ficou com raiva por causa do que eu disse? Era a verdade; nós dois sabíamos disso. 
— Demi! 
Eu me virei. Gianna correu em minha direção, deixando seu carrinho de bagagem no caminho. Nós colidimos quase dolorosamente, mas eu a apertei com força. — Estou tão feliz que você está aqui, — eu sussurrei. 
Ela assentiu com a cabeça, em seguida, puxou para trás, procurando o meu rosto. — Não há hematomas visíveis — ela disse em voz alta, o seu olhar correndo atrás de mim em direção a Joe. — Você só atingiu lugares que são cobertos por roupas? 
Segurei a sua mão e lhe dei um olhar de advertência. 
— Pegue a sua bagagem, — Joe ordenou. — Eu não quero ficar aqui a noite toda. 
Gianna olhou para ele, recuperou seu carrinho e voltou para nós. — Um cavalheiro teria feito isso por mim. 
— Um cavalheiro, sim, — Joe disse com um sorriso apertado. 
Voltamos para o nosso carro, meu braço ligado com o de Gianna. Joe deu alguns passos à frente e sentou atrás do volante sem uma palavra. 
— Qual é o problema dele? Ele é ainda mais idiota do que eu me lembro. 
— Eu acho que os russos estão lhe dando problemas. 
— Eles não dão sempre? — Gianna colocou as malas no carro antes que ambas se sentassem no banco de trás. 
Joe ergueu as sobrancelhas para mim. — Eu não sou seu motorista. Sente na frente comigo. 
Fiquei surpresa com a sua dureza, mas eu fiz o que ele disse e me sentei bufando. O rosto de Gianna estava amassado de raiva. — Você não deveria falar com ela assim. 
— Ela é minha esposa. Eu posso fazer e dizer a ela o que eu quiser. 
Eu fiz uma careta. Joe virou-se para mim, encontrando o meu olhar. Eu não podia enfrentar seus olhos. Então olhei para a rua. 
— Como estão Lily e Fabi? 
— Irritantes como o inferno. Especialmente Lily. Ela não parava de falar sobre Romero. Ela é apaixonada por ele. 
Eu ri, e os lábios de Joe se contraíram. Eu não sabia por que, mas estendi a mão e coloquei na sua perna. Seus olhos se moveram rapidamente até mim, então ele cobriu minha mão até que precisou mudar de marcha novamente. Os olhos de Gianna estavam atentos, só nos observando. Ela com certeza me bombardearia com perguntas no momento em que ficássemos sozinhas. 
*** 
Quando entramos no apartamento, o cheiro de cordeiro assado e alecrim chegou até nós. 
— Eu disse a Marianna para preparar um jantar agradável, — disse Joe. As sobrancelhas vermelhas de Gianna dispararam em surpresa. 
— Obrigada, — eu disse. 
Joe assentiu. — Mostre a sua irmã o quarto dela e então nós podemos comer. — Ele ainda estava sendo rude e duro. Eu o vi virar a esquina em direção à cozinha. 
Mostrei a Gianna seu quarto, e ela rapidamente me puxou para dentro e fechou a porta. 
— Você está bem? 
— Sim. Eu lhe disse ao telefone. Eu estou bem. 
— Eu prefiro ouvir você dizer isso quando eu posso ver seu rosto. 
— Eu não vou mentir para você, Gianna. 
Ela segurou minha mão. — Ele a obrigou a dormir com ele? 
— Não, ele não me obrigou. E eu não quis ainda. 
Seus olhos se arregalaram. — Mas alguma coisa aconteceu entre vocês dois. Quero detalhes. 
Eu me afastei. — Nós precisamos ir jantar agora. Marianna vai ficar louca se a comida esfriar. Podemos falar amanhã, quando Joe estiver ocupado com os negócios. 
— Amanhã — Gianna disse com firmeza. 
Abri a porta e fomos para a sala de jantar. Seus olhos observavam tudo, e eu vi eles se apertarem quando ela percebeu quem mais iria jantar com a gente: Nick. Ele e Joe estavam de pé ao lado da mesa, discutindo algo, de modo que precisamos dar mais um passo para sermos notadas. 
— O que ele está fazendo aqui? — Disse Gianna, franzindo o nariz. 
Piscando seu sorriso tubarão, Nick caminhou em direção a ela e agarrou a sua mão para beijá-la. — Prazer em vê-la novamente, Gianna. 
Gianna retirou a mão. — Não me toque. 
Ela precisava parar de provocá-lo; ele gostava disso. Joe e eu nos sentamos um ao lado do outro e Nick ao lado de Gianna. Eu não tinha certeza se essa era a melhor decisão. 
Olhei para Joe, mas seu olhar cauteloso repousava sobre seu irmão e minha irmã. Marianna se apressou em servir o cordeiro assado com alecrim, batatas e feijão verde. Comemos em silêncio por um tempo até Gianna não conseguir mais conter sua língua. — Por que você esmagou a garganta do cara?

4 comentários:

  1. Eu só acho que vc devia fazer uma maratona de uns 10 capítulos ou mais, se não for pedir muito sabe.
    Posta logoooo

    ResponderExcluir
  2. O nick querendo a Gina, e o Joe e demi no rolo

    ResponderExcluir
  3. A Gianna é maravilhosa ❤️ Melhor irmã da Demi ❤️
    Estou amando tudooooo...Não tem como não ficar apaixonada e viciada ❤️
    Ansiosa para o Joe se apaixonar pela Demi...
    Está tudo lindoooooo ❤️
    Beijos

    ResponderExcluir

Espero que tenham gostado do capítulo :*